Karla Sarney, conheça sua luta e saiba por que ela se destaca por ações em defesa da mulher



Karla da Costa Bastos, também conhecida como Karla Sarney, nasceu no Maranhão, no dia 29 de fevereiro de 1972, é filha de médica e de um advogado e auditor fiscal. De uma família de políticos, sua maior inspiração política é seu tio, o ex-presidente José Sarney. 

Formou-se em Administração pela Universidade Estadual do Maranhão, em 1991, e Direito pela Universidade Estácio de Sá do Rio de Janeiro, em 2005. Especializou-se em Direito Tributário e Finanças Públicas. Faz parte da Comissão de Direito Tributário e Comissão de Direito Marítimo e Portuário, ambas da OAB/MA, além de possuir o próprio escritório de advocacia.

Foi o desejo de continuar ajudando à população, que a fez se lançar como candidata à vereadora de São Luís, em 2020, pelo PSD. Como resultado dos trabalhos realizados, ela foi eleita com 2.594 votos. Além de vereadora, ela também compõe a Mesa Diretora da Câmara Municipal de São Luís, como 4ª secretária.

"No começo não foi fácil, mesmo recebendo apoio da famílias dos amigos, tinha também aquelas pessoas que duvidavam, que a nossa campanha pudesse ter êxito. Mas, mesmo assim eu  não esmoreci, fui pra luta,  e Deus nos honrou com a eleição", pontuou.   

Karla é idealizadora do projeto social, "Mulheres de Verdade", que tem como objetivo principal, a valorização da mulher e o fortalecimento da participação feminina na sociedade, centenas de famílias já foram beneficiadas pela iniciativa.

Durante a pandemia do novo coronavírus, através do  projeto, a vereadora distribuiu milhares de cestas básicas, materiais de limpeza, para confecção de máscaras, e doação de leite para crianças em tratamento oncológico.

Para Karla Sarney, o projeto "Mulheres de Verdade", tem sido fundamental para o fortalecimento das ações de apoio às mulheres, durante a crise econômica que atravessa o país. 

"É através das ações realizadas que conseguimos chegar às mães de família e, é exatamente, nesse momento, que elas mais precisam do nosso apoio. Momento em que estão sem suas rendas e de certa forma, impedidas pela pandemia de trabalhar. Então, a gente soma forças pra levar ajuda, e fazer com que as políticas públicas necessárias, cheguem até elas", pontuou a vereadora.

Em seu primeiro mandato, a parlamentar vem se destacando por suas ações comunitárias em prol das famílias ludovicenses, em especial às mulheres, trabalho que tem tido grande repercussão na imprensa maranhense, e que é fruto de muitos anos de um sólido trabalho de base.

Sobre o projeto Mulheres de Verdade

O projeto nasceu em 2018 a partir de uma roda de conversa entre amigas, incomodadas com a falta de projetos direcionados às mulheres e a carência de representantes femininas nas esferas de poder.

A partir de então, com o aumento do número de mulheres envolvidas, os debates foram crescendo, e entre o grupo, tornou-se urgente a necessidade de empoderamento do público feminino, foi aí que algumas ações começaram a ser desenvolvidas, tendo como foco a cidadania e a proteção social. 

Então, aquele movimento simples e informal foi se transformando em algo mais articulado, já tinha alma, faltava rosto, e nome, algo que realmente representaria as lutas feminina que representasse as "Mulheres de Verdade", então, surgiu o nome que logo teve a aceitação de todos.

A iniciativa tem como área de atuação, todo o estado. Mas inicialmente, os trabalhos começaram por São Luis, tendo como objetivo a proteção às mulheres em especial, as chefes de família,  mães que por alguma condição social precisam de amparo, através de políticas públicas, de igualdade de direitos, de respeito, e merecem viver livres da violência doméstica e com mais oportunidades em todas as áreas, seja, na política, na geração de emprego e renda, na capacitação profissional, e empoderamento.

As metas do projeto são tão audaciosas quanto o desejo de alcança-las. Por isso as "Mulheres de Verdade", conclamam a todos, que acreditam  que as ações devem ser construídas em conjunto, entre poder público e privado,  sociedade civil organizada, rede de proteção às mulheres, projetos sociais e demais movimentos de defesa da mulher, para somarem forças, para a promoção das ações necessárias  que gerem o respeito e justiça para todas, por que toda mulher merece viver com dignidade e igualdade de direitos.

Comentários