Preso diretor de clínica de repouso por abuso sexual e cárcere privado a 33 mulheres

 Foto: DDM Crato

A polícia prendeu nesta quinta-feira (12) o diretor de uma clínica de repouso em Crato, no Ceará, depois de flagrar a situação em que viviam as 33 internas do local. Elas eram mantidas aprisionadas em celas, em condições sub-humanas, conforme descrito pela equipe policial.

O responsável pelo estabelecimento, Fábio Luna dos Santos, 35 anos, foi preso e levado para a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) do Crato, onde será denunciado por crime sexual contra duas vítimas, cárcere privado e maus-tratos, além de ser suspeito de desviar o dinheiro das internas.

Um bilhete escrito por uma das internas foi o que motivou as investigações policiais. A vítima conseguiu entregar a mensagem para uma das irmãs, afirmando que sofria abuso sexual e pedindo para ser retirada dali com urgência.

Quem são as mulheres encontradas na clínica?

A clínica localizada no Crato, Cariri cearense, abrigava idosas e internas com problemas psiquiátricos. São 33 mulheres, com idades entre 30 e 90 anos.

Qual era a situação das mulheres encontradas?

As mulheres eram aprisionadas em celas pequenas, com cadeados e sem condições sanitárias. Segundo a titular da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), Camila Brito, "o local era fétido, tinha mau-cheiro, não tinha ventilação, havia restos de comida dentro de baldes espalhados, cinco cachorros de médio porte e porcos".

Como o caso foi denunciado?

Uma das internas conseguiu escrever um bilhete e entregar a uma das irmãs. A mensagem foi escrita há cerca de duas semanas. Nela, a vítima afirmava que ela e uma amiga sofriam abuso sexual na clínica e pedia para tirá-la do local com urgência. Familiares da vítima levaram o bilhete à DDM e a polícia iniciou as investigações.

Familiares entregaram bilhete de vítima de cárcere e violência sexual à delegada na cidade de Crato e investigação começou — Foto: Arquivo pessoal

Como o diretor da clínica foi preso?

A prisão aconteceu na manhã desta quinta-feira (12). A princípio, a Polícia Civil foi ao local apenas com a denúncia de crime sexual, feita pela interna que escreveu o bilhete. Mas ao chegar ao local, a equipe policial se deparou com todas as outras mulheres vivendo em condições sub-humanas. Fábio Luna dos Santos, 35 anos, está preso na Delegacia de Defesa da Mulher do Crato.

Por quais crimes ele foi denunciado?

Ele foi preso por crime sexual contra as duas vítimas descritas no bilhete e também foi autuado por cárcere privado e maus-tratos, além de ser suspeito de desviar o dinheiro das vítimas.

 O que diz a defesa de Fábio Luna?

A defesa do diretor da clínica não foi localizada para comentar sobre o caso.

 A clínica já passou por alguma fiscalização?

A delegacia responsável pelo caso informou que aguarda o posicionamento da Vigilância Sanitária do Estado para saber como foi dada a autorização para funcionamento da clínica, que já funcionava há seis anos. O G1 questionou a Secretaria da Saúde do Ceará para saber se já houve alguma fiscalização anterior e também aguarda resposta.

As mulheres eram mantidas em celas pequenas, trancadas por cadeados, em clínica de repouso no interior do Ceará. — Foto: DDM Crato



Fonte: G1

Comentários