Vídeo; organizador de samba é flagrado agredindo mulher em São Luís

Nas imagens, a mulher é agredida com um tapa, xingamentos e ainda é ameaçada de morte. (Foto: Divulgação/Redes sociais)

Na noite de quinta-feira (19) um homem, identificado como Phellipe Cariru, foi flagrado agredindo uma mulher em São Luís.

Nas imagens, a vítima desce do carro e é agredida com um tapa, xingamentos e ainda é ameaçada de morte. Uma outra mulher aparece no vídeo tentando impedir a agressão, mas não consegue.

Assista ao vídeo (Imagens fortes):


Mesmo sem a mulher vítima da agressão tendo prestado queixa, o caso está sendo investigado pela Polícia Civil do Maranhão (PC-MA). Segundo Kazumi Tanaka, coordenadora das Delegacias da Mulher do Maranhão, a mulher deve em breve prestar depoimento.

"Já foram identificadas as pessoas envolvidas nesse episódio, nessa situação. Estamos colhendo mais informações sobre esse caso, para que a gente tenha subsídio para a investigação que já iniciou pela Delegacia Especial da Mulher", disse Kazumi Tanaka.

Phellipe Cariru é organizador de um tradicional evento musical de samba realizado na Fonte do Ribeirão, região do Centro Histórico de São Luís. As investigações preliminares apontam que esta não é a primeira que Phelipe pratica este tipo de violência contra a mulher.

"Se nós conseguirmos mais vestígios, pode ser um crime ou tentativa de lesão corporal, pode ser vias de fato, pode ser outros crimes e que vai depender muito do que vai ser o relato da vítima e as informações colhidas pelas investigações", explicou coordenadora das Delegacias da Mulher do Maranhão.

Mesmo que a mulher vítima de violência doméstica não procure a polícia, quem presencia a agressão pode denunciar. As denúncias podem ser feitas por meio de canais como 190, Disque Denúncia, Delegacia Online de forma anônima.

"Isso pode ser feito até pelo próprio 190, ela pode fazer denúncia através do disque-denúncia, que é uma denúncia anônima, através do aplicativo Salve Maria Maranhão, que ela pode anexar fotos e vídeos. Pode vir até a Casa da Mulher Brasileira, que funciona 24 horas, pode registrar um B.O online por meio da Delegacia Online Maranhão. E se a mulher tiver sendo monitorada pela Patrulha Maria da Penha, porque já requereu uma medida protetiva de urgência, de fato as pessoas tem que se incomodar, tem que buscar denunciar e dar apoio e suporte para aquela mulher que passa por esse tipo de situação violenta", disse Kazumi Tanaka.



Fonte:Imirante



Comentários