9 pessoas são presas suspeitas de torturar e matar deficiente mental no MA

Vianey Ailton Chagas sofria de problemas mentais — Foto: Divulgação/Polícia

Nove pessoas foram presas nesta quarta-feira (29) por serem suspeitas de torturar e matar um jovem de 23 anos, que tinha problemas mentais, identificado como Vianey Ailton Chagas, no último dia 23 de julho em Paço do Lumiar, na Região Metropolitana de São Luís.

Segundo o delegado Carlos Damasceno, o corpo da vítima foi escondido logo após o crime e a polícia conseguiu chegar até a identidade dos suspeitos depois de descobrir o tipo de veículo que foi usado durante o crime.

“Nós ao tomamos conhecimento do cadáver que foi encontrado na região da Pirâmide iniciamos as investigações e foi possível descobrir o veículo utilizado. A partir desse veículo chegamos ao proprietário e aos autores desse crime terrível. A vítima estava desorientada circulando e a família procurando por todo canto possível e por volta das 19h do dia 23 de julho ela, infelizmente, adentrou a Vila Temer e se deparou com os faccionados que resolveram torturá-lo e o fizeram até a morte”, contou o delegado.

De acordo com o delegado, Vianey Ailton fugiu de sua casa e após chegar no bairro onde foi torturado e morto com socos, pontapés uso de pedaços de madeira e pedras. “Ele entrou numa área onde a atuação de uma facção criminosa. Nove integrantes dessa facção o prenderam, levaram para um campo de futebol e lá passaram a torturá-lo. Como ele tinha dificuldade de articular as palavras, em razão da deficiência mental, resolveram matá-lo. Mataram mediante a tortura. Inicialmente com socos, pontapés, uso de pedaços de madeira e ao final esfacelaram a face da vítima com pedras”.

O delegado disse que todos os nove suspeitos vão responder pelos crimes de homicídio triplamente qualificado, tortura e organização criminosa. “Todos foram presos preventivamente. Eles serão encaminhados ao sistema penitenciário e responderão por homicídio triplamente qualificado, pela tortura e pela organização criminosa em razão de integrar esse grupo criminoso”, finalizou.



Fonte: G1MA

Comentários