Motorista de aplicativo que fazia corridas para si mesma é bloqueada



Uma motorista de aplicativo de São Luís, que fazia corridas consigo mesma, perdeu uma ação na Justiça, na qual pleiteava indenizações.

Na ação, a motorista alegava que trabalhava no aplicativo "99 Táxis Desenvolvimento de Softwares LTDA", quando, de forma inesperada, foi desligada definitivamente, sem nenhuma explicação, ficando sem nenhuma renda mensal.

A motorista recorreu à Justiça para que o aplicativo fizesse o imediato desbloqueio, em até 24 horas, da reativação do contrato/cadastro de parceria.

Ainda na ação, a motorista solicitou ainda que, caso o aplicativo não cumprisse o determinado, que fosse convertida em perdas e danos, correspondente a um mês de ganhos, que remonta um valor total de R$ 7.500,00.

A Justiça indeferiu o pedido de tutela de urgência, após constatado que autora foi bloqueada para utilização do aplicativo em decorrência de suas próprias condutas.

Entre as quais, ficou comprovado o mau uso do aplicativo, pois a parte autora realizava corridas consigo mesma, utilizando seu perfil de passageira, cadastrada no aplicativo.

“Trata-se de ação em que a autora narrou ser motorista cadastrado no aplicativo do demandado e que foi bloqueada, sem qualquer justificativa e, diante disso, pleiteou o desbloqueio de seu perfil na plataforma e indenização por dano moral e lucros cessantes”, iniciou a sentença.

Comentários