Mãe e filha de 8 anos são resgatadas de cárcere privado

Central de Flagrantes de Teresina — Foto: Livia Ferreira/g1

Um homem foi preso na noite de segunda-feira (20) suspeito de lesão corporal e violência doméstica contra a enteada de 8 anos e a própria companheira, na região da Santa Maria da Codipi, na Zona Norte de Teresina. Existe ainda a suspeita de que as duas eram mantidas em cárcere privado e que a menina ainda tenha sofrido abuso sexual do padrasto.

O delegado informou ao g1 que a prisão ocorreu por volta das 18h, na Vila São Joaquim, na região da Santa Maria da Codipi, após moradores denunciarem que a mulher e a filha estavam sendo agredidas pelo suspeito.

Uma equipe da Polícia Militar foi acionada e prendeu o homem após constatar que as vítimas estavam com várias marcas de agressão. O Conselho Tutelar também participou da ação. Moradores ainda tentaram agredir o homem, mas foram contidos pela polícia.

Ao atender a ocorrência o delegado Odilo Sena descobriu que a situação era bem pior. Além das agressões, mãe e filha eram proibidas pelo suspeito de saírem da residência e a última refeição delas tinha sido pela manhã.

“Ele é muito agressivo com elas, vivia bebendo e fazia apenas alguns bicos, não tinha um emprego fixo. A criança foi encontrada muito magra e suja. A mãe estava raquítica, magra, e ambas sem comer desde de manhã. As duas tinham várias marcas de agressão. Elas sofriam tortura física, mas também muito terror psicológico”, afirmou o delegado Odilo Sena.

O homem foi preso e encaminhado para a Central de Flagrantes de Teresina. Segundo o delegado, com medo, a mãe não quis falar sobre todas as agressões que sofria diariamente.

“Elas têm muito medo dele. Para você ter uma ideia, quando elas estavam na Central de Flagrantes, demos comida para elas, porque desde de manhã que elas não se alimentavam. A menina comeu, mas a mãe não comeu com medo, mesmo ela estando muito magra, não quis comer por causa dele”, disse o delegado.

Um dos pontos que deve ser apurado pela polícia é a possibilidade da menina ter sido abusada pelo suspeito e por amigos deles.

“A investigação ainda está no início, então não podemos afirmar muita coisa. A menina vai fazer exames na Maternidade Evangelina Rosa, para atestar se houve algum abuso ou estupro, mas o que até agora nos falaram, é que ele possivelmente abusava dela, e que até oferecia a menina para amigos. Não posso afirmar se ele fazia isso em troca de algo, mas até onde nos disseram, isso acontecia”, disse o delegado.

Odilo Sena afirmou que foi pedida a prisão preventiva do suspeito. Entretanto, a Justiça não acatou o pedido e o homem foi solto após passar pela audiência de custódia. Foram decretadas medidas cautelares a favor das vítimas.

Mãe e filha foram encaminhadas para um abrigo, onde vão ficar protegidas e vão receber atendimento psicológico.

Comentários