Bombeiros do Maranhão atuam nas operações de busca e resgate em Petrópolis

 

Divulgação

Dois cães farejadores do Grupamento de Busca e Salvamento do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA) seguem procurando vítimas do deslizamento de terra na cidade de Petrópolis, região serrana do Rio de Janeiro. Os animais são os mesmos que atuaram nas buscas por desaparecidos nas chuvas que atingiram cidades do interior da Bahia no mês de janeiro. Segundo informação divulgada pelo CBBMA nesta segunda-feira (21), além dos cães, equipe com militares maranhenses especializados em busca e resgate também já estão no local.

“Os binômios (cão e militar adestrador) já estão trabalhando juntamente com equipes de outros estados, o trabalho é dividido por setores, concentrados onde há maior chance de localização de vítimas sob os escombros”, disse o CBMMA em nota.

A equipe maranhense se deslocou ao Rio de Janeiro na sexta-feira (18), onde atuam junto com militares de outros estados brasileiros na busca por desaparecidos.

“Aquela cidade tem sido duramente castigada pelo excesso de chuvas e nós iremos nos somar à corporação do Rio de Janeiro e ajudar os nossos irmãos nesse momento tão difícil, para mitigar os efeitos desse desastre que tem repercutido tão pesadamente para o povo brasileiro”, disse o coronel Célio Roberto, comandante-geral do CBMMA.

Segundo o Corpo de Bombeiros Militar do Rio de Janeiro (CBMRJ), também estão trabalhando na operação de resgate militares de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Tocantins, Goiás, Mato Grosso, Ceará, Sergipe, Paraíba, Alagoas, Bahia, São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo e do Distrito Federal.

Ainda segundo o CBMRJ, mais de 180 óbitos decorrentes da tragédia já foram registrados – o maior da história da cidade – e 104 pessoas ainda estão desaparecidas.

Nas redes sociais, o governador Flávio Dino informou que a equipe do CBMMA permanecerá em Petrópolis “enquanto houver necessidade”. Na sexta-feira (18), Dino já havia compartilhado vídeo que registra o momento em que o piloto da aeronave que levava os binômios do CBMMA à Petrópolis, saúda os voluntários maranhenses.

“Contamos aqui com a presença de bombeiros voluntários do estado do Maranhão, junto com as cadelas Flecha e Pandora, que estão indo fazer missão humanitária para resgate das vítimas em Petrópolis, devido às chuvas na região. É um prazer tê-los a bordo”, disse o piloto do avião em comunicado aos passageiros, que aplaudiram a equipe de resgate maranhense.

Chuvas no Maranhão


O CBMMA também mantém trabalho de resgate e auxílio humanitário a populações vitimadas com as fortes chuvas no Maranhão. De acordo com a corporação, no momento, os municípios que inspiram maiores cuidados são: Pedreiras e Trizidela do Vale, onde o rio Mearim já ultrapassou novamente a cota de inundação.

Em janeiro deste ano, o volume de chuvas provocou a inundação de rios e córregos, principalmente na região sul, central e oeste do Maranhão. Vinte e dois municípios decretaram situação de emergência: Barra do Corda, Buriti Bravo, Caxias, Colinas, Estreito, Formosa da Serra Negra, Fortuna do Maranhão, Grajaú, Imperatriz, Jatobá, Lagoa Grande do Maranhão, Mirador, Paraibano, Parnarama, Pedreiras, Santa Quitéria, São João do Sóter, São Luís Gonzaga, Vila Nova dos Martírios, São Pedro da Água Branca, São Roberto e Trizidela do Vale.

No final de janeiro, 2.200 famílias encontravam-se desabrigadas e desalojadas. Ao todo, 7.600 famílias foram afetadas direta ou indiretamente pelos prejuízos.

Atualmente, o número de famílias desabrigadas no interior do estado é reduzido, entretanto, vários municípios permanecem em monitoramento.

Na última semana, uma enxurrada ocorrida no município de Poção de Pedras causou vários prejuízos, 74 famílias estão desabrigadas ou desalojadas, mas recebem auxílio do poder público do Maranhão.

Comentários