Mulher é atacada pelo próprio pit bull dentro de elevador; imagens fortes

Uma mulher foi flagrada por câmeras de segurança tentando escapar do ataque de seu pit bull enquanto fugia para o elevador do prédio.O incidente ocorreu em um complexo de apartamentos localizado em Cúcuta, na Colômbia.

A mulher de 25 anos estava em seu quarto, quando o cachorro de quatro anos de repente se virou contra ela. "A reação dela foi rastejar até a porta e sair pelo corredor, esperando que um vizinho a ajudasse", disse major Arley Dávila, da Polícia Metropolitana de Cúcuta.

Como ninguém apareceu, ela tentou escapar pelo elevador, mas o cachorro feroz conseguiu alcançá-la e a atacou. O momento chegou a ser registrado e nas imagens angustiantes, ela aparece se debatendo contra ele que a mordeu no braço. Com o animal ainda preso a seu corpo, ela consegue se sentar e bater apertar um dos botões do elevador. Até que a porta se abre e o animal a arrasta para fora.

Colombiana é atacada pelo próprio pit bull - Foto: Reprodução


"Quando o animal pulou em cima dela, a única coisa que ela pensou foi que, se ficasse no 5º andar, ninguém iria resgatá-la", revelou o policial ao La Opinion, acrescentando que o cachorro só a soltou depois que ela escapou para o saguão.

Após ser resgatada por um parente, ela foi levada às pressas ao Hospital Universitário Erasmo Meoz, onde recebeu tratamento adequado aos ferimentos. "Ela teve fraturas em dois dedos da mão direita e um na mão esquerda. Ela ainda está hospitalizada e aguardando transferência para uma clínica para um procedimento médico", informou Dávila.

De acordo com os vizinhos, o cachorro nunca apresentou sinais de agressão nos quatro meses em que viveu lá e seu dono sempre o levava para passear usando focinheira.

Autoridades investigam as condições de vida do cão e o enviaram ao Centro de Zoonoses da Secretaria de Saúde de Cúcuta para uma análise comportamental de dez dias para determinar seu destino.

ATENÇÃO: As imagens do ataque são extremamente fortes e não são indicadas para pessoas sensíveis.
Fonte: Meio Norte

Comentários