Petrobrás avisa investidores estrangeiros que Bolsonaro pode mudar política de preços

Jair Bolsonaro (Foto: Reuters)

247 - A política de preços da Petrobrás, imposta pelo usurpador Michel Temer após o golpe de Estado contra a ex-presidente Dilma Rousseff, que dolarizou os preços dos combustíveis, causando graves prejuízos ao Brasil, poderá ser alterada. Esta política teve continuidade durante o mandato de Jair Bolsonaro.

A Petrobrás alertou investidores de que sua política de preços de combustíveis pode mudar no futuro. O aviso consta em documento depositado nesta quarta-feira (30) junto à SEC (Securities and Exchange Commission), órgão regulador do mercado de capitais nos Estados Unidos, informa a Folha de S.Paulo, citando trecho do documento: "No futuro, podem ocorrer momentos em que os preços de nossos produtos não estarão em paridade com os preços internacionais dos produtos. Ações e legislação impostas pelo governo brasileiro, enquanto nosso acionista controlador, podem afetar essas decisões de preço".

A polêmica no governo em torno dos preços dos combustíveis motivou a demissão do presidente da empresa, general Joaquim Silva e Luna, por Bolsonaro nesta segunda-feira.

Os derivados de petróleo, como gasolina, diesel e gás estão entre os itens com maior peso na inflação, aumentando ainda mais a impopularidade de Jair Bolsonaro em ano eleitoral. Pesquisa Datafolha divulgada nesta semana mostra que, para a maioria dos brasileiros (68%), o governo de Bolsonaro tem responsabilidade pela alta no preço dos combustíveis.

Comentários