Reivindicações Sem avanço nas negociações, rodoviários paralisam 100% da frota na Grande São Luís

Greve dos rodoviários chega ao seu 43º dia em São Luís (MA) — Foto: Douglas Pinto/TV Mirante


Sem avanço nas negociações, os rodoviários decidiram paralisar nesta terça-feira (29) 100% da frota na Grande São Luís. A decisão foi acordada após uma assembleia geral ocorrida na última terça-feira (22) na sede do sindicato da categoria.

O movimento grevista dos trabalhadores, que já dura 43 dias, não teve qualquer avanço nas negociações, entre empresários e os trabalhadores rodoviários, e já é considerado um dos maiores da história do Maranhão. Em fevereiro deste ano, os rodoviários tinham parado completamente a frota na na Grande São Luís, mas a Justiça determinou a prisão de membros do sindicato, caso os rodoviários não disponibilizassem 60% da frota em circulação.

Por meio de nota, o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários no Estado do Maranhão (Sttrema) disse que "a entidade cumpriu as decisões judiciais, mantendo inclusive, o mínimo de 60% da frota de ônibus em operação em toda a Grande São Luís" e mesmo assim não houve entendimento entre as partes. Diante disto, a entidade decidiu por paralisar por completo as suas atividades na Região Metropolitana da capital.

Leia a íntegra da nota


"O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão informa, que até o fim da tarde desta segunda-feira (28), não houve qualquer avanço nas negociações, entre empresários e os trabalhadores Rodoviários, por esta razão, a paralisação geral da categoria, está mantida e deve ser deflagrada, já nas primeiras horas desta terça-feira (29). O movimento grevista dos trabalhadores, já dura 42 dias. Durante esse período, a entidade cumpriu as decisões judiciais, mantendo inclusive, o mínimo de 60% da frota de ônibus em operação em toda a Grande São Luís. Na última audiência de conciliação, no TRT-MA, em 18 de março de 2022, a questão foi encaminhada para julgamento, já que mais uma vez, não houve entendimento entre as partes. Até o momento, a Justiça do Trabalho, não se posicionou sobre quando esse julgamento irá acontecer. Vale ressaltar, que o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão, após Assembléia Geral da categoria, em 22 de março de 2022, cumpriu todos os prazos necessários estabelecidos, inclusive, comunicando com antecedência, o sindicato patronal (SET) e demais órgãos competentes envolvidos, a decisão dos trabalhadores, mas nenhuma solução foi apresentada para acabar com esse impasse. Mesmo com o reajuste de R$ 0,20 centavos no valor das tarifas de ônibus e mais o repasse de um subsidio, concedido pela Prefeitura de São Luís, os empresários, até então, não apresentaram qualquer proposta que atenda os trabalhadores, ou seja, um total descaso e desrespeito com a população e principalmente, com os Rodoviários, uma categoria, que assim como todas as outras, merece ter os seus direitos garantidos".


Reinvindicações


Justificando a paralisação, os rodoviários pedem um reajuste de 12% nos salários, jornada de trabalho de seis horas, tíquete de alimentação no valor de R$ 800, manutenção do plano de saúde e a inclusão de um dependente e a concessão do auxílio-creche, para trabalhadores com filhos pequenos.

A Prefeitura de São Luís chegou o auxílio emergencial ao setor de transporte público neste mês de fevereiro, destinando mais R$ 2,5 milhões (auxílio direto) e R$ 1,5 milhão, por meio do programa 'Cartão Cidadão', ao setor de transporte, mas os rodoviários decidiram iniciar o movimento devido a um impasse salarial com os empresários.


Fonte: G1MA

Comentários