Lula diz que Bolsonaro fez 'graça' e foi 'estúpido' ao conceder indulto a Daniel Silveira

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva durante entrevista a youtubers — Foto: Reprodução / YouTube


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou nesta terça-feira (26), em entrevista a youtubers, que o presidente Jair Bolsonaro fez "graça" e foi "estúpido" ao conceder indulto ao deputado Daniel Silveira (PTB-RJ).

Na semana passada, Silveira foi condenado pelo STF à perda do mandato, dos direitos políticos e a oito anos e nove meses de prisão. O parlamentar foi julgado por estímulo a atos antidemocráticos e ataques a ministros do Supremo e a instituições do Estado, como o próprio STF. Um dia depois, Bolsonaro anunciou o perdão da pena para o aliado. Desde então, Lula não havia se manifestado sobre o assunto.

"Ninguém é obrigado a gostar de mim, mas as pessoas são obrigadas a respeitar aquilo que está acontecendo em benefício de todos no país. Por isso é que eu acho que o Bolsonaro foi estúpido quando fez essa decisão que ele tomou, essa graça que ele fez. Porque ele acha que é graça mesmo, sabe? Não graça no sentido do benefício jurídico, mas a graça do ponto de vista de sorrir", afirmou Lula.

Lula disse ainda que Bolsonaro conseguiu causar a repercussão política que desejava no caso Silveira.

"Eu acho que ele foi medíocre, apesar de que essa é uma discussão que eu nem comentei nada porque tudo o que ele queria era o que aconteceu. Ele abafou o carnaval. Ele fez isso na quinta-feira. Ficou quinta, sexta, sábado, domingo, segunda e terça no auge do noticiário. Porque tudo que ele quer é que permaneça no noticiário, e ele não tem nenhum interesse se é coisa boa ou ruim. Do jeito que ele é, pode ser ruim que ele gosta assim mesmo", completou o ex-presidente.

Lula não disse se concorda ou discorda da decisão do STF sobre Silveira.

"A Suprema Corte tinha condenado o cidadão a nove anos de cadeia, porque o cidadão desrespeitou a instituição, ofendeu, xingou. Não sei se está certo também porque não sou advogado. Mas se ele desrespeitou e fez o indulto, quem é que vai julgar? É a própria suprema corte. Mas o que aconteceu? Ele [Bolsonaro] transformou isso num fato político, em que a imprensa, desde quinta-feira não fala de outra coisa a não ser nisso. De manhã, de tarde e de noite", completou Lula.

O ex-presidente e pré-candidato Luiz Inácio Lula da Silva em entrevista a youtubers — Foto: Reprodução/YouTube


Crise entre Bolsonaro e STF

Lula disse ainda que não é algo normal uma disputa entre um presidente da República e o Supremo Tribunal Federal (STF). Ele fez referência à crise entre Bolsonaro e o STF, que teve um novo capítulo com o indulto.

"Nós estamos com um problema no Brasil que é reconstruir instituições que estavam funcionando. Você acha que é normal a briga entre o presidente e a suprema corte? Não é normal, algo está errado. O ministro da suprema corte e o presidente da República não têm que ficar trocando farpas. Ou seja, a suprema corte julga e o presidente governa. É cada um cumprindo a sua função. É isso que nós temos que recuperar para este país."

Evangélicos

Lula disse também que a vida de Bolsonaro “não é condizente” com a de um cristão e que o presidente “não acredita em Deus”.

Lula afirmou que o povo evangélico é “inteligente” e não tem que conversar com “farofeiro que fala, fala, fala em nome de Deus cometendo pecado todo dia”.

As falas foram uma resposta a um questionamento sobre a estratégia do ex-presidente em relação aos evangélicos e a pastores “multimilionários”.

“Nós não podemos confundir o povo evangélico com alguns pastores. O povo evangélico é muito grande neste país, e não é um povo menos inteligente que o povo de outra religião. Pelo contrário: eles são espertos, são inteligentes, eles cuidam da família como se deve cuidar”, respondeu o presidente.

“A gente não tem que conversar com pastor. A gente [não tem que] ficar atrás do farofeiro que fala, fala, fala em nome de Deus cometendo pecado todo dia. Até porque utilizar o nome de Deus em vão já é pecado. Nós temos que conversar com o povo, o homem e a mulher evangélica. Discutir com eles o problema do Brasil, a situação que estamos vivendo”, acrescentou o ex-presidente.

Para o ex-presidente, o evangélico “tem que saber que já foi bem melhor tratado" e "tem que saber que o atual presidente não acredita em Deus”. “Ele é mentiroso até para isso”, disse Lula.

“Olha os olhos dele quando ele fala em Deus. Aquilo é uma peça eleitoral. Aquilo ele tramou com alguns pastores e ficava gritando, quando na verdade um comportamento dele, o histórico da vida dele, a vida política dele, até a vida militar, ele foi expulso do Exército. Então, a vida dele não é condizente com um cristão, com um homem temente a Deus, com um homem que crê em Deus. Não é”, afirmou o ex-presidente.


Fonte: G1MA

Comentários